Bon Jovi faz passeio por hits no Rock In Rio

Quinta noite de Rock In Rio, que pode ser chamada de desfile de hits dos anos 80 e 90.

O Jota Quest abriu as atrações do Palco Mundo desta sexta(22) e mostrou por que é um dos principais nomes do rock nacional.

- Publicidade -
Para ouvir nossa rádio, baixe o aplicativo RadiosNet para celulares e tablets com Android ou iPhone/iPads.

Em um show empolgante, talvez um dos mais eletrizantes até aqui, embalou o público que começava a se aglomerar na frente do principal palco do festival. Com hits dos anos 90, e coincidentemente na mesma noite de lançamento de seu primeiro trabalho acústico, o Jota Quest colocou todos pra pular, cantar, gritar, e tudo mais, mas o que ficou mesmo em evidencia foi o protesto político feito pela banda em vários momentos do show.

O segundo show, foi do Alter Bridge. Nascidos do Creed, todos exceto o vocalista são originários da finada banda. Sem muitos hits no Brasil, mas com vontade de mostrar serviço, a banda ganhou o público, que em alguns momentos gritava o nome do grupo tão alto que abafava a música. Agora uma certeza o norte-americanos deixaram neste Rock In Rio: Nada sobrou do Creed. O som que se viu foi bem distinto do que se esperava. Podemos afirmar que o carma de serem comparados ao Creed se foi!

A terceira atração da noite foi o Tears For Fears. Os sintetizadores dos ingleses tomaram conta do público de mais de 100 mil pessoas. Com hits, baladas, pop rock, new wave, tantas variações do rock em um único show, mostrou por que são uma das bandas mais respeitadas!

Não faltou quem cantasse em alto e bom tom hits como “Break it down again”. Ainda tivemos cover de Adele e Radiohead.

A noite fechou com chave de ouro ao som do Bon Jovi. De volta ao Rock In Rio, agora mais completo, a banda mostrava mais entrosamento que no show de 2013. E desta vez não teve charme ou beijo, o Bon Jovi foi direto ao ponto, e mostrou uma excelente sequência de hits hard rock, aliás, poucas bandas tem tantos tão bons! O público respondeu, e cantou, cantou, e cantou. Jon também, tanto que após mais de duas horas de show faltou voz.
Foi a platéia mais cheia para ver um headliner na edição deste ano até agora.

O QUE ACHOU?
COMPARTILHAR